Make your own free website on Tripod.com

 

INTRODUÇÃO

 

O desejo de elaborar um Léxico São Tomense-Português surgiu como consequência de uma pequena recolha feita junto de uma informante natural de São Tomé e Princípe em 1999.

 

Dei-me conta, então, de quão escasso era o material disponível sobre o crioulo São Tomense, e de que poucos portugueses se dedicavam ao estudo deste crioulo de base lexical portuguesa.

 

Resolvi agora deitar mãos à obra e elaborar uma lista de palavras do crioulo São Tomense com a respectiva tradução para português. As palavras constantes desta lista foram compiladas na literatura constante na Bibliografia, nomeadamente em Ferraz (1979) e em Lorenzino (1998), bem como na recolha feita por mim em 1999.

 

Não tenho a pretensão de que esta lista, de cerca de 1000 palavras, possa ser vista como um dicionário.

 

Um dicionário deve abranger um conjunto das entradas lexicais e o tratamento dado a essas entradas através de uma rede de relações definicionais, gramaticais e semânticas, como a sinonímia, antonímia e polissemia, e de relações pragmáticas, ou seja, a área de uso, a frequência, etc. As entradas de um dicionário devem ser abonadas com expressões que permitam ao leitor contextualizar as palavras ou expressões. Deve também, se possível, ter a etimologia das palavras. Um dicionário deve ter uma primeira parte em que aborde a gramática da língua.

 

O trabalho que apresento não está testado junto de falantes do crioulo São Tomense, apenas tendo uma ínfima parte sido directamente recolhida. Não apresento abonações nem princípios gramaticais. Uma vez que nem sempre os autores consultados se referem à etimologia das palavras, optei por omitir esta questão. Limito-me a apresentar a entrada lexical, a respectiva transcrição fonética, a categoria gramatical[1] e, na maioria dos casos o sinómino em português; em alguns casos é dada uma definição em vez do sinónimo[2].

As obras que serviram de base a este trabalho estão escritas em inglês, pelo que, por vezes, foi difícil e talvez demasiado ousado da minha parte apresentar uma tradução para português sem a testar junto de falantes nativos.

De qualquer forma, este Léxico São Tomense-Português é o movimento que espero prepare o primeiro passo de uma longa caminhada no sentido do aprofundamento do estudo do crioulo São Tomense por falantes da língua portuguesa.



[1] De acordo com o princípio da multifuncionalidade a mesma palavra pode desempenhar várias funções sintácticas, sendo a derivação imprópria (muito produtiva nas línguas crioulas) um fenómeno que decorre desse princípio. Assim, em muitos casos, a categoria gramatical indicada é apenas uma das que a palavra pode ter.

[2] São traços das línguas crioulas a ausência de flexões de género e a ausência de acordo de número. Assim, e exceptuando poucas formas nominais que têm flexão de género, os substantivos e adjectivos do ST são baseados nas formas masculinas singulares do português (Ferraz 1979); a tradução apresentada é geralmente, e por uma questão de economia, a do masculino, mas o princípio geral é que ela abrange também o feminino. A pluralização é indicada pelo pronome pessoal  P6 nen.